Manifesto do Hardware Científico Aberto e Global

English | Español | Français | Português | 中文

Muito obrigado para a Luis Felipe Murillo traduzir o Manifesto Gosh!

O movimento do Hardware Científico Aberto e Global (cuja sigla GOSH em inglês significa “Global Open Science Hardware”) busca reduzir as barreiras entre criadores e usuários de instrumentos científicos para apoiar a busca e a expansão do conhecimento. Estes são os nossos princípios:

GOSH é acessível

  • Qualquer indivíduo pode criar, obter, estudar, modificar, distribuir, utilizar e compartilhar desenhos de projetos de hardware aberto para as ciências.
  • As ferramentas são abertas, livres, e licenciadas como tal.
  • Nossos documentos são compreensíveis e comunicativos.
  • Nós compartilhamos ao invés de agirmos de forma territorial.
  • Para torná-los acessíveis do ponto de vista socioeconômico, os materiais escolhidos são de fácil obtenção e de baixo custo sempre que possível.
  • Nós compartilhamos dos valores já estabelecidas pelos movimentos de software livre, hardware aberto e ciência aberta.

GOSH torna a melhor ciência ainda melhor

  • Experimentos científicos que utilizam hardware aberto são mais reprodutíveis, mais comparáveis e de maior probabilidade de serem replicados.
  • Comparar dados de diferentes domínios, padrões e países é mais provável quando hardware aberto é utilizado.
  • Reprodutibilidade é dos principais critérios da boa ciência, e o hardware para ciência aberta garante uma maior reprodutibilidade.
  • O hardware aberto para a ciência aberta intensifica a produção científica.
  • Mil cabeças são melhores do que uma.

GOSH é ético

  • As pessoas tem o direito ao conhecimento e, portanto, o direito às ferramentas para a obtenção do conhecimento.
  • As pessoas alinham as tecnologias aos seus valores ao se tornarem criadoras.
  • Os benefícios da ciência devem ser compartilhados com todos e todas de forma a não causar danos e riscos.
  • O hardware científico aberto está disponível à todos e todas sem discriminação de formação acadêmica, país de origem, raça, sexo ou religião e não tolera qualquer forma de discriminação.
  • GOSH é utilizado para fins pacíficos.

GOSH muda a cultura das ciências

  • Nós defendemos a ciência aberta, a qual exige hardware aberto.
  • Nós mobilizamos a ciência em direção à práticas coletivas, acessíveis e colaborativas, tomando distância de práticas territoriais, institucionais, proprietárias e individualistas.
  • Nós criamos um maior número de opções para as pessoas conduzirem pesquisas, tanto dentro de instituições existentes (universidades, ONGs, governos, empresas) como fora delas.
  • Nós criamos espaços para as ciências para além dos muros das
    instituições estabelecidas (como universidades e ONGs) para
    que existam novas alternativas de trajetória de pesquisa.
  • Nós ampliamos os métodos através dos quais praticamos as ciências, de forma que as formas de conhecimento e entendimento de outros grupos façam parte do processo de criação do conhecimento no presente e no futuro.

GOSH democratiza as ciências

  • Um maior e diverso número de pessoas pode participar e se beneficiar das ciências.
  • Nós rompemos barreiras de silos entre disciplinas e instituições, criando pontes entre diferentes domínios do conhecimento: você não precisa ser um “biólogo” para praticar biologia ou ter um diploma para fazer pesquisa.
  • O hardware aberto para a ciência aberta diminui a separação entre o Norte e o Sul global, entre profissionais e amadores, particularmente em países ditos pobres.
  • O hardware aberto para a ciência aberta coloca o conhecimento local em ação e contribui para a justiça cognitiva e redistributiva.
  • O hardware aberto para a ciência aberta permite a diversidade de valores e vozes para colocar questões de pesquisa e criar novas tecnologias.

GOSH não possui líderes ou pastores

  • Nós temos defensores da comunidade, mas não uma autoridade centralizada.
  • Nós somos uma comunidade comprometida com o compartilhamento dos nossos êxitos de forma ativa.
  • Nós baseamos o nosso trabalho uns nos outros ao invés de trabalhar isoladamente.
  • Quanto maior o número de pessoas envolvidas, melhor.

GOSH empodera as pessoas

  • Para conduzirem pesquisas baseadas em seus interesses.
  • Para realizarem pesquisas com base nas necessidades de suas comunidades.
  • Para conduzirem pesquisas através de muitas formas de suporte (incluindo financeiro, pessoal e de recursos materiais e de tempo).
  • Para realizarem suas idéias com baixo custo.
  • Para compreenderem como suas ferramentas operam com base no empréstimo, na criação e na troca de tecnologia.
  • Para terem transparência tecnológica e acompanhamento público.
  • Para construirem um movimento.

GOSH não possui caixas pretas

  • Na linguagem da engenharia, “caixa preta” refere-se a qualquer objeto técnico cujo funcionamento interno é desconhecido do usuário. No caso do Hardware Científico Aberto e Global, as tecnologias desenvolvidas e aplicadas são livres e abertas.
  • Através do empréstimo, da construção e do compartilhamento mais amplo das tecnologias, nós adquirimos uma compreensão de como as nossas ferramentas funcionam.
  • Desenvolver Hardware Científico Aberto e Global é uma forma de aprender atráves da prática.
  • O Hardware Científico Aberto e Global aumenta a transparência e a auditoria pública.

GOSH consiste em ferramentas de impacto

  • As tecnologias são adaptáveis e, por esta razão, podem responder diretamente às necessidades sociais e técnicas locais.
  • Existe uma ligação direta entre o que a comunidade de usuários necessita e o hardware científico, uma vez que a comunidade de usuários pode acessar, modificar, adaptar e utilizar as ferramentas.
  • O hardware científico aberto permite aos usuários a disseminação do conhecimento com a publicação frequente de resultados preliminares, o que permite que as ferramentas sejam mais ágeis e responsivas.
  • O hardware científico aberto é desenhado para ser escalável.

GOSH garante múltiplos futuros para as ciências e as tecnologias

  • A pesquisa pode acontecer dentro e fora da universidade, dentro e fora do laboratório, bem como dentro e fora de ambientes comerciais.
  • GOSH muda as normas do contexto institutional das ciências para que os pesquisadores compartilhem conhecimentos e tecnologias livremente.
  • Com hardware científico aberto e global, grupos indigenas e não-cientistas podem conduzir pesquisas em suas línguas nativas e adaptá-las aos contextos locais.
  • GOSH permite que a ciência aconteça em lugares onde ela geralmente não é realizada.
  • GOSH tem por objetivo promover uma mudança cultural de forma que suas oportunidades e benefícios tornem-se intergeracionais.

 

Sign the GOSH Manifesto

Anyone can join the Global Open Science Hardware movement! Undersigning this document means that you desire and aspire to work towards the principles outlined in the GOSH Manifesto.

[signature]

254 signatures

Share this with your friends:

   

Undersigned
254Antoni GandiaCatalan CountriesFungicultura.info
253Nicolas NunezPeru
252Jamieson WebkingUnited States04101
251Armando D'ErricoItalia
250Aymeric Ratinaud
249Maria Beatriz Nogueira Pascoal Brazil SLMANDIC Medicine School
248José Francisco ChagasBrazilSLMandic Medical School
247Renzo FilinichChileCoclea
246Gayatri BuragohainIndiaFeminist Approach to Technology (FAT)
245CRISTIAN ROJOChile8370152
244Sebastian Robledo GajardoChile
243Carlos PuigChile
242Rishi AgarwalUnited States
241Thomas BurkettUSABUGSS
240David BildUnited StatesChicago Academy of Sciences / Peggy Notebaert Nature Museum
239Ricardo RepenningChileRT Electronics Chile
238Lucio AlvarezChile8290032
237Nicolas MoralesChilePontificia Universidad Catolica de Chile
236Rocío SampayoArgentinaUNSAM
235Victor GuadalupeChile/Brazil
234jaime dameschile
233Mina KimSouth Korea
232DAILY laurelFrancebiohacking safari
231Abran KhalidPakistanSensorica
230Praveen PatilIndiaGS Science College, Belgaum India
229David LiChina201103
228Andriy HertsUkraineTernopil Volodymyr Hnatiuk National Pedagogical University
227Oscar Joel de la Barrera BenavidezMexicoBiohackers Mexico
226francesco gaetaniPanamaUN Environment
225Oliver KellerGermanyCERN
224Pablo EstefóChileUniversidad de Chile
223Shams JaberBangladeshThe Tech Academy
222Kaspar EmanuelUnited Kingdomkitnic.it
221Eduardo Padilha AntonioBrazilUniversity of Sao Paulo / Synbio Brasil
220Tianheng ZhaoChinaUniversity of Cambridge
219Lawrence NderuKenyaJomo Kenyatta University of Agriculture and Technology
218Aakriti ThapaNepalKarkhana
217Elizabeth AusticUnited StatesUniversity of Michigan
216Tim RudgeChileUniversidad Católica de Chile
215Sharada MohantySwitzerlandEPFL
214Freyja VandenboomUKresearcher/advocate
213Ganga Chinna Rao DevarapuIrelandResearcher
212Andreia OliveiraPortugal4200-537
211Julián Castro BosisioArgentinaNodo 39 FabLab Mendoza
210Alvaro RamosColombia
209Moses GichangaKenyaAutonomous Systems Research
208Sheila Serrano VincentiEcuadorUniversidad Politécnica Salesiana
207Sachiko HirosueJapan / Switzerlandbiodesign.cc
206Steve HanChina
205Pablo CidChileInstituto de Investigaciones Agropecuarias (INIA)
204Erin HodgessUnited StatesUniversity of Houston-Downtown
203Mitchel Jiménez RodriguesChileBiohackVilú
202laura olaldeArgentinaArtist
201Peter MorrisonGreat BritainSynBio CDT, University of Warwick
200Nicolás NarváezChileBiohackVilú
199Samenjo Karl Heinz T..CameroonAfrican Born 3D printing
198Byron TarabataEcuadorUCE, UPS LABIC
197Pablo AlmendrasChileUDEC
196Mingjie Wang
195Winand SlingenberghNetherlandsDIYBio Groningen / Fablab Groningen
194Claudio TiecherItalyDIYBioGroningen
193Shan HeChina
192Alejandro NadraArgentinaUBA-CONICET
191Gustavo Pereyra IrujoArgentinaINTA-CONICET
190Fernan FedericiChilePUC
189Vinicius Rosa CotaBrazilUFSJ
188Jerónimo HerreraChileBiohacking Chile
187Nelson HigueraChileLaberinto Biohackspace
186Séverine CazauxChileLaberinto Biohackspace
185Akshai MIndiaICFOSS
184Benjamin ZamoraChileLaberinto Biohackspace
183Diego SaraviaArgentinaUniversidad Nacional de Salta
182Jiawei LiUnited KingdomUniversity College London
181Romain BornetSuisseechOpen
180NAGARJUNA GIndiagnowledge lab, Mumbai, India
179Abhinav PriyadarshiIndiaChandigarh Engineering College , Landran
178VARUN ADIBHATLAUnited StatesARGO LABS
177Joel MurphyUnited Stateswww.openbci.com www.pulsesensor.com
176Irio LavagnoItalyIrio Lavagno
175Osvaldo Hernández LeónMexico
174Ihab F. RiadSudanUniversity of Khartoum
173Jorge AppiahGhanaKumasi Hive
172salem mohamedEgyptinternal medicine
171Cesar Jung-HaradaHong KongMakerBay
170Sebastian PałuchaUnited KingdomDurham University
169FRANCIS WAMONJEKenyaUniversity of Cambridge
168Budi PrakosaIndonesiaLifepatch
167Ryan HammondUnited StatesBaltimore Underground Science Space
166Becki ChallUnited StatesPublic Lab
165Klie KliebertUSAPublic Lab
164Liz BarryUnited StatesPublic Lab
163Benjamin H PaffhausenGermanyFU Berlin
162Thomas MaillartSwitzerlandUniversity of Geneva
161leonardo palmieriBrazilUFRJ
160Antonio C C MarquesBrazilCELC
159Francois MILLETFrance14000
158Ricardo SegarraSpain
157Nikesh BalamiNepalOpen Knowledge Nepal
156Andrew KiggunduUgandaNARO
155Gille PlattnerFranceUPMC
154Antonio Celso C L SouzaBrasil
153Gerardo BarbarovSpainSingular Devices Maker Studio
152Alexis Maestre-SaboritUnited StatesUnion for the Justice Laura Marx
151Sirius D. AbadíaSpainFundación Inceptum
150pat rudafrance
149Ana BarralSpain
148Tere BadiaSpainHangar
147Carmelo Ordóñez
146Carmen Peña Hernández Galiza. Spain
145Andrea OlmedoSpain
144Alberto MenaSpain
143Antonio Gomez
142Manuel GalánSpain
141Rafael Martinez ValverdeEspaña46980
140Teresa MontañoSpain
139David Alfonsín Lareo
138JUAN CARLOS ZAMORA SANCHEZEspaña
137Ricard EscartinSpain
136Albert Garcia Spain
135Jesús Arroyo TorrensSpain
134Alberto PorcaSpain
133Angel EspesoSpainwww.roble.uno
132Samuel Landete BenaventeSpain46014
131Arturo LorenzoSpain
130José Luis VillarejoEspaña28412
129Alberto GarcíaSpainUOC
128Almudena Garcia SpainUniversity of Huelva
127Arturo Rodriguez Castillo Spain imvec.tech
126Juanfra AlvarezSpainIMVEC - Instituto de Monitorización y Vigilancia de Espacios Contaminados
125Alvaro VillosladaSpain
124Federico CocaEspaña18014
123Pascal CotretFranceCentraleSupélec
122Juan González-GomezSpainR&D engineer
121Gustavo ReynagaMexicoMazMaker MakerSpace / Teacher
120Sergio AlvariñoEspaña
119Blanca Garcia BoenteEspañaEnfermera del SERGAS
118Ruth RealEspaña32002
117Gabino GonzálezSpain
116Alberte Méndez LópezSpainBricolabs makerspace / teacher
115Yvan SatgéUnited StatesClemson University
114Pierre PadillaPeruBiomakers Lab
113xose quirogaSpainIMVEC - Instituto de Monitorización y Vigilancia de Espacios Contaminados
112detailleur briceFranceCNRS
111matthews cedricFranceCNRS
110Fernando CastroArgentinaUTN - Facultad Regional Mendoza
109David AriasEcuador
108David WenbertUSAChincoteague Innovation & Venture Inception Center
107Nguyen HungVietnamHCM City
106Romie LittrellUnited StatesThe Tech Museum of Innovation
105Alex GiordanoItalyRURALHUB
104Jenny MolloyUnited KingdomUniversity of Cambridge
103Mokhtar BachaFranceKantum SASU
102Luis SoenksenUnited StatesMassachusetts Institute of Technology
101Alain HotuaBelgique
100Clement QuinsonFranceElectrolab (Hackerspace/Makerspace)
99Karen BorgesBrasilIFRS/POALAB - FabLab
98Andre PeresBrazilIFRS/POALAB - Fab Lab
97Maria Ines CastilhoBrasilCentro de Tecnologia Acadêmica IF-UFRGS
96Marina de FreitasBrazilCentro de Tecnologia Acadêmica, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
95Emilie AbsilFrance
94Mickaël CubelFranceLes Petits Débrouillards ?=+
93Florian MoulinFrance
92Etienne Armand AmatoFranceUniversité Paris Est Marne-la-Vallée
91Kha TrươngVietnamStudent
90Jérôme GAULINFrance
89lea torayFrance
88Valentin Benozillo France
87Hiure QueirozBrazilSitio do Astronauta
86Lucas EversNetherlandsOpen Wetlab - Waag Society
85bureau d'études bureau d'étudesFrance
84Jean-Philippe BelassamiFranceIT Engineer and part time maker
83Marceau MinotFranceStudent
82Carole LabieFranceCitizen Creative Media
81Giuseppe FascillaItaly
80Thomas Hervé Mboa Nkoudou CameroonProjet SOHA
79Mehdi JaberFranceinnovation manager, French public sector
78Céline LibéralFranceBT
77Luc JonveauxFranceindependent / echopen
76Mathieu GONNETFranceINRA
75francesca pellegrinoItalia72017
74Patrick CampbellUSA
73paz tornero
72Lucy PattersonGermanyScience Hack Day Berlin
71Leslie CacedaUnited States30307
70maria luiza fragosoBrazilufrj
69Rachel RosalenBrazilrural.scapes - lab in residence
68Kat Austen
67Denisa Kera
66Ewen ChardronnetFranceMakery
65Luc HenrySwitzerlandHackuarium
64Andrea PolliUSAThe University of New Mexico, Art and Ecology
63Shannon DosemagenUnited StatesPublic Lab
62Christoph LaibSwitzerland
61michel pauliCameroonassociation linux friends, limbe cameroon
60julian anibal henao garciaColombiaarmatostre
59isabelle desjeuxsingaporeindependent
58maya minderSwitzerland
57Rüdiger TrojokDeutschlandKIT-ITAS
56Omar OrtizMexicoDocking-Biohacking
55Jean-Baptiste LugagneFranceInria
54Gernot AbelDenmarkBiologigaragen
53Hauser JensDenmarkUniversity of Copenhagen
52Pedro SolerEcuadorUpayakuwasi
51Miha HorvatSloveniaFundacija Sonda - GT22
50TeZ MartinucciNetherlandsoptofonica
49Andrew PellingCanada
48Andrew QuitmeyerUnited States30307
47Marc DusseillerSwitzerlandCenter for Alternative Coconut Research
46Timo MenkeSwedenFilmform foundation
45Angela Pereira
44Martin Malthe BorchDenmarkBiologigaragen / REBBLS / CIID / DTU / ITU / KU /
43Juan Manuel GARCIA ARCOSFranceCRI
42Ryan FobelCanada
41João Vitor MolinoBrazilUniversity of São Paulo
40Marco MauroItalyopenQCM – Novaetech S.r.l.
39Cristian PadovanoItaliaLaboratory of Neuroproteomics - "F. Ferrari" Hospital
38Leonardo SehnBrazilCentro de Tecnologia Acadêmica IF/UFRGS and Laboratório de Meteorologia e Qualidade do Ar CEPSRM/UFRGS.
37Felipe FonsecaBrazilIBICT
36Alexandre Hannud AbdoBrazilLISIS-INRA (France)
35Bram CrevitsBelgiumlaboratorium.bio
34claudia gonzalezChile7770212
33Anthoniy ValFrance
32Juan JaramilloColombiaLa Jaquer EsCool
31Pieter Van Boheemen
30Omar VeraColombia
29jonathan kellerfrancecredof
28Aurora Thornhill
27Douglas Nacib Chaves JorgeBrazilUNESP Medical School
26Suresh GhimireNepalKarkhana
25Giedrius KavaliauskasLithuania
24Miguel Arturo CroceBrazilUniversity of São Paulo
23Antoine C.FranceVoosilla Experimental Project
22Luis Fernando Medina CardonaColombiaUniversidad Nacional de Colombia
21Alexander SimovicSerbiaFabLab Belgrade
20Ivana GadjanskiSerbia11000
19Quitterie largeteauFrance
18Urs GaudenzSwitzerlandGaudiLabs
17Leo BlondelFranceHarvard
16Luis Felipe R. MurilloBrazilBerkman Center for Internet and Society
15Andre Maia ChagasGermanyUniversity of Tuebingen
14Marc SantoliniFranceNortheastern University, Boston MA
13Ricardo GuimarãesBrazilGypsyLab AT
12Jorge MachadoBrazilUniversity of Sao Paulo
11Carlos WinterBrazilUniversity of Sao Paulo
10Javier SerranoSpainCERN
9Bengt SjölénSwedenindependent
8Tobias WenzelGermanyUniversity of Cambridge
7Richard BowmanUKUniversity of Cambridge
6Kshitiz KhanalNepalOpen Knowledge Nepal
5Rafael PezziBrazilCentro de Tecnologia Acadêmica IF/UFRGS and ALICE/CERN
4Puneet KishorUSAindependent
3Mikael FernstromIrelandUniversity of Limerick
2Greg AusticUSAPhotosynQ
1Max LiboironCanadaCivic Laboratory for Environmental Action Research (CLEAR)

Licença
Este documento é de domínio público.

Origem
Este documento foi criado por consenso entre as pessoas que participaram da primeira reunião GOSH em 2016 em Genebra, Suiça. Sua criação foi facilitada por Max Liboiron e Greg Austic, os quais continuam a cuidar do documento na versão original em Inglês. A tradução para o Português foi feita por Luis Felipe R. Murillo.